A Tal da Cacheada: TRANSIÇÃO EMOCIONAL | INSPIRAÇÃO A TAL DA CACHEADA

TRANSIÇÃO EMOCIONAL | INSPIRAÇÃO A TAL DA CACHEADA

 Bom dia queridas, tudo bem? Vamos começar a semana com aquela inspiração?!

Vamos dar inicio a uma parte muito querida aqui no blogue #inspiraçãoataldacacheada, esse é um dos espaços mais importantes para mim, pois já passei pela transição e sei o quão difícil é se auto descobrir, mas nem eu e nem você estamos sozinhas nessa, é só olhar para os lados e saber que, podemos nos inspirar e nos tornar inspiração, então vamos lá.

Hoje apresento a vocês a querida Nayara que tem um testemunho incrível e EMOCIONANTE, separe alguns lencinhos e embarque nessa história de vida que parece tanto com a minha e a sua.


Acredito que a “transição interna” seja a mais difícil de todas as transições, chamo de transição interna aquela que ocorre sem big chop, sem o abandono das químicas ou da escravidão da chapinha. Aquela que acontece dentro do coração, quando a garota ou mulher passa a aceitar não somente suas raízes, mas a se amar independente da curvatura do seu cabelo.



Meu nome é Nayara tenho 23 anos, sou do interior de São Paulo, estou no último período do curso de Direito. Por forças do destino e decisão de minha mãe, eu nunca fiz nenhum alisamento químico no meu cabelo, confesso que não foi por falta de vontade, afinal eram poucas as referências cacheadas na família, minha mãe e minhas tias todas com os cabelos lindos e lisos, cheguei a questionar várias vezes minha mãe o porquê de não ter o cabelo como o dela, confesso que imagina o quanto seria feliz se fosse lisa.

Durante a infância toda, sempre usei cabelo preso, tranças, raramente estavam soltos, o que me aterrorizava era o frizz e o volume, portanto o tempo todo molhava as mãos e passava no cabelo, esse ato virou uma mania o que chegou a afetar a saúde do meu cabelo. 


Em muitas das vezes, como muitas meninas, usava a toalha enrolada na cabeça, imaginando serem meus cabelos lisos, longos e perfeitos. 

Minha mãe nunca me permitiu ter uma chapinha (mamis muito obrigada), acreditem, fui ganhar minha primeira chapinha depois da aceitação dos meus cachos, então raramente alisava o cabelo, somente quando pegava emprestada de alguma amiga, e aqueles dias de lisa para mim eram os melhores, eu me sentia bem, ou pelo menos achava que sentia, cheguei a usar também a famosa “franja alisada e o restante do cabelo cacheado”.

Por volta dos meus 14 anos encontrei no Orkut uma comunidade sobre cabelo cacheado e simplesmente me encantei. Um fato que me marcou muito durante a transição emocional foi quando cortei meus cachinhos em corte Chanel o que não favoreceu muito o volume, acentuando ainda mais, infelizmente na escola uma das "amigas lisas" caçou do meu visual, e aquilo me magoou profundamente, portanto, acredite que não importa o tipo da sua transição, terão momentos em que seu cabelo será alvo de comentários maldosos e olhares desagradáveis, afinal, no mundo há pessoas que vivem para faze isso. 



Graças à comunidade do Orkut passei a aprender a cuidar e me dedicar aos meus fios, e a cada dedicação eles respondia positivamente, com isso percebi que eles se tornavam autênticos e únicos, sermos nós mesmas, exatamente do jeitinho que Deus nos desenhou é maravilho.

A mudança interna ocorre aos poucos, quase nunca existe amor à primeira vista, a auto aceitação não virá repentinamente, nela o cabelo não passa da química para os cachos, o cabelo continua o mesmo o que muda é o seu interior, mais especificamente como você olha para ele. E parafraseando um querido e inesquecível clássico, "só se vê bem com o coração". Ame sempre quem você escolheu ser!



Ufa, esse depoimento foi de tirar lágrimas e sorrisos né amoras? Quantas vezes colocávamos a toalha nos cabelos e o imaginávamos liso e comprido? Agradeço muito a amora Nay por todo o carinho em dividir sua vida com a gente. 

Quer inspirar outras pessoas? Me envie um email ou whats (11) 96714-0699 com sua história.
ataldacacheada@gmail.com

Conhece alguma cacheada em transição? Compartilhe esse post com ela <3

Um grande abraço queridas ❤.

Comentários do Facebook
0 Comentários do Blogger

Nenhum comentário:

Postar um comentário